logologo

Fale Conosco

InícioBlogNew Opportunities for Renewable Energy Projects with Low-Income Communities Program

Programa Novas Oportunidades para Projetos de Energia Renovável com Comunidades de Baixa Renda

2024-01-15
O Programa de Crédito de Bônus para Comunidades de Baixa Renda do Departamento do Tesouro recebeu uma resposta esmagadora na primeira rodada de inscrições. Com mais de 8 GW de projetos de energias renováveis ​​manifestando interesse, a procura é quase quatro vezes superior à capacidade atual do programa. No entanto, graças a uma exclusão generosa, os projetos que cumprem critérios específicos ainda são incentivados a candidatar-se, apresentando novas oportunidades para a expansão das energias renováveis.

Expansão e atualização do crédito fiscal de investimento

 

De acordo com a Lei de Redução da Inflação (IRA) de 2022, o crédito fiscal ao investimento (ITC) foi atualizado e ampliado. Essa mudança permite que a maioria dos projetos localizados no cliente receba uma porcentagem substancial dos custos elegíveis de projetos solares, solares + armazenamento e eólicos. Com a ajuda de seis créditos de bônus acumuláveis, os desenvolvedores de projetos agora podem receber de volta pelo menos 30% e até 70% dos custos do projeto.

Alocação de capacidade e créditos de bônus para comunidades de baixa renda

O Internal Revenue Service (IRS) e o Departamento de Energia (DOE) iniciaram inscrições em meados de outubro para projetos de energia renovável que estão em desenvolvimento, mas ainda não “colocados em serviço”. Estes projectos podem procurar obter uma atribuição de capacidade a partir de um dos quatro créditos de bónus estabelecidos para apoiar comunidades de baixos rendimentos. Para monitorar a capacidade restante para o ano do programa de 2023, o DOE publicou um Painel de Capacidade do Programa, que é atualizado regularmente para refletir novos pedidos aprovados pelo IRS.

 

Priorizando Comunidades com Insegurança Energética

 

Para garantir uma distribuição equitativa da capacidade do programa, pelo menos metade de toda a capacidade dentro de cada um dos quatro créditos de bônus é reservada para projetos que atendam aos critérios de seleção adicionais (ASC). O Tesouro estabeleceu esta exclusão de Critérios de Seleção Adicionais (ASC) para priorizar aplicações das comunidades mais afetadas pela insegurança energética. Como resultado destas exclusões, ainda estão disponíveis aproximadamente 364 MW de capacidade. Sem essas exclusões, três categorias já poderiam ter atingido seus limites de capacidade.

 

Critérios ASC para elegibilidade de projetos

 

Para atender ao ASC de Propriedade, o candidato deve ser uma entidade isenta de impostos (incluindo organizações sem fins lucrativos e governos), uma empresa tribal, uma Corporação Nativa do Alasca, uma cooperativa de energia renovável ou uma empresa de energia renovável qualificada. Por outro lado, o ASC Geográfico exige que o projecto esteja localizado num condado de pobreza persistente (PPC) ou num sector censitário desfavorecido, conforme definido pela ferramenta de triagem de justiça climática e económica (CEJST). Para avaliar sua elegibilidade para o ASC Geográfico, os desenvolvedores do projeto podem utilizar uma ferramenta de mapeamento on-line produzida pelo DOE e pelo NREL.

 

Capacitando Comunidades por meio de Energia Renovável

 

Tradicionalmente, os créditos fiscais sobre a energia têm beneficiado principalmente as famílias com rendimentos mais elevados, deixando as comunidades de baixos rendimentos, as comunidades de cor e os idosos com acesso limitado à energia renovável de origem local. As organizações sem fins lucrativos, em particular, não conseguiram aceder aos créditos fiscais sem contratar terceiros antes do IRA. No entanto, as exclusões nos créditos de bónus visam resolver esta disparidade, permitindo que mais projetos de energia renovável que beneficiem a comunidade sejam desenvolvidos e liderados por partes interessadas locais.

 

Impacto das exclusões do ASC

 

As exclusões do ASC já estão causando um impacto significativo na alocação de capacidade do projeto. A categoria 4, por exemplo, poderá atender toda a sua capacidade de 700 MW somente por meio de aplicações ASC, que representam 838 MW. Em contraste, os candidatos não-ASC contribuíram com 3.113 MW, mas nenhuma desta capacidade será alocada para a Categoria 4. Isto demonstra a eficácia das exclusões do ASC em garantir que os projectos elegíveis para o ASC e os projectos localizados em Terras Tribais possam continuar a aplicar-se em de forma contínua até o início de 2024.

Compartilhar
Artigo anterior
Próximo artigo
Contacte-nos para a sua solução energética!

Nosso especialista entrará em contato com você se você tiver alguma dúvida!

Select...