logologo

Fale Conosco

InícioBlogAD/CVD Import Tariffs Remain a Contentious Issue in the US

As tarifas de importação AD/CVD continuam sendo uma questão controversa nos EUA

2024-01-02

Antecedentes da Saga AD/CVD

 

O segundo trimestre de 2023 trouxe à tona um debate renovado em torno da questão das tarifas de importação antidumping/compensatórias (AD/CVD) nos Estados Unidos. Estas tarifas enfrentaram oposição dentro do governo dos EUA, gerando discussões e deliberações contínuas.

 

A saga AD/CVD vem se desenrolando ao longo de vários anos. Começou com uma investigação baseada em alegações feitas pela Auxin Solar, que acabou por considerar vários fabricantes de energia solar de propriedade chinesa culpados de contornar as tarifas de importação dos EUA, deslocalizando certos aspectos das suas operações para o Sudeste Asiático. Em resposta a estas conclusões, o Presidente Joe Biden emitiu uma ordem executiva que renunciou temporariamente às tarifas AD/CVD sobre estas importações até meados de 2024. Naquela época, aproximadamente 80% do fornecimento de energia solar dos EUA originava-se de operações no Sudeste Asiático.

 

Esforços para revogar a isenção de Biden

 

Em abril de 2023, o Congresso considerou votar para revogar a isenção de Biden e restabelecer as tarifas. Isto levou uma coligação de mais de 400 empresas solares dos EUA, liderada pela Associação das Indústrias de Energia Solar (SEIA), a enviar uma carta instando o Congresso a manter a renúncia. O objetivo da isenção era proporcionar à indústria solar dos EUA tempo suficiente para se preparar para os potenciais impactos das tarifas. De acordo com o SEIA, estes impactos poderão equivaler a taxas retroativas no valor de mil milhões de dólares, bem como ao cancelamento de projetos com capacidade solar combinada de 4 GW.

 

Apesar dos incentivos oferecidos pela Lei de Redução da Inflação, a indústria ainda estava nos estágios iniciais do estabelecimento de um fornecimento doméstico significativo de energia fotovoltaica (PV). Isto permanece verdade até hoje. Tanto a SEIA como um grupo bipartidário no Congresso que defende a aplicação dos deveres enfatizaram a importância de proteger os “interesses americanos”. A SEIA argumentou que a transição energética dos EUA e o crescimento da sua indústria solar seriam prejudicados pelas tarifas, no momento em que a dinâmica começava a crescer. Por outro lado, os legisladores afirmaram que permitir o influxo de módulos baratos, aparentemente fabricados na China, estava a minar as empresas americanas e o reemergente setor industrial dos EUA.

 

Veto presidencial mantém a renúncia

 

Após aprovação no Congresso, a votação chegou à Câmara dos Representantes e ao Senado antes de chegar à mesa do presidente Biden. Em última análise, o Presidente Biden exerceu o seu poder de veto, preservando assim a sua renúncia e garantindo que esta permanecesse em vigor até ao próximo ano.

 

Concluindo, o debate em curso sobre as tarifas de importação de AD/CVD nos EUA reflete a complexidade e a importância desta questão para várias partes interessadas. À medida que a indústria solar continua a evoluir, encontrar um equilíbrio entre a proteção dos interesses nacionais, a promoção do crescimento do setor industrial e o apoio à transição energética do país continua a ser uma tarefa desafiadora que requer uma consideração cuidadosa.

 

Para informações mais relevantes, inscreva-se em Bateria ACE.

Compartilhar
Artigo anterior
Próximo artigo
Contacte-nos para a sua solução energética!

Nosso especialista entrará em contato com você se você tiver alguma dúvida!

Select...